2

8 meses...

Davi com 8 meses

  O bebê de 8 meses

Senta, engatinha e fica de pé

Agora que tem 8 meses, é possível que o seu bebê esteja sentando sem apoio e talvez até engatinhando ou se movimentando pela casa se arrastando sentado. Ele deve estar começando a passar da posição sentada à ereta com o auxílio dos móveis. Se você posicionar seu filho perto de um sofá, ele provavelmente vai se agarrar às bordas com todas as suas forças para levantar.

Essa mobilidade toda se traduz em muitos tropeções e quedas. Essa é uma parte inevitável da infância e, embora você por vezes fique com o coração na boca, tente aproveitar esta etapa em que a criança explora e descobre seus limites. Reprimindo seus desejos mais profundos proteger seu filho a todo custo, você vai permitir que ele cresça e aprenda por conta própria. Agora, é fundamental que sua casa seja um ambiente seguro para crianças. Entre outras coisas, você deve se certificar de que objetos frágeis estejam posicionados em segurança (para que não caiam) e que móveis menos firmes fiquem em locais em que o bebê transita pouco. Retire qualquer objeto pequeno que o bebê possa enfiar no nariz, no ouvido ou na boca.

Uso das mãos

O bebê começa a procurar objetos no chão e usar o dedo para apontá-los. Ele também já consegue usar os dedos para pegar um pedaço de comida e segurá-la com a mãozinha fechada. Além disso, a criança aprendeu a abrir a mão para deixar objetos caírem no chão. Seu filho está aprimorando a capacidade de pegar pequenos objetos entre o polegar e o indicador ou o dedo médio.

Mais emotivo

A partir de agora, as emoções do bebê ficam mais evidentes. Ele já faz gracinhas, como mandar beijos para pessoas conhecidas, e tende a repeti-las se for aplaudido. Nos próximos meses, seu filho vai aprender a avaliar e imitar seu estado de humor. Ao ver alguém chorando, é possível que chore também.

Longe dos pais

Nesta idade, a maioria dos bebês já dá sinais de ansiedade de separação. Seu filho pode ficar mais tímido ou preocupado perto de desconhecidos, especialmente quando estiver cansado ou irritado. Nos momentos em que você não está por perto, ele demonstra chateação. Mesmo que seja desagradável, essa separação é importante. Ao se afastar, você ajuda no desenvolvimento da confiança do seu bebê e na formação de elos emocionais dele com outras pessoas.

Quando sair, beije e abrace seu filho e diga a ele que vai voltar. Caso ele fique assustado ou comece a chorar, não tenha dúvidas em reconfortá-lo e assegurar que você volta mesmo. É duro não começar a chorar quando ele chora, mas, se você não resistir, vai apenas prolongar o sofrimento dele. Nessas horas, é bom ter por perto uma outra pessoa com quem ele esteja familiarizado. Se o bebê fica ansioso no momento de se separar de você à noite, procure reservar um tempinho a mais para estar com ele, segurá-lo no colo, ler ou cantar uma música antes de colocá-lo de vez para dormir.

Alguns bebês lidam melhor com separações do que outros, dependendo do temperamento. Cada criança é de um jeito, e cada uma precisa de determinada quantidade de atenção. Você conhece seu filho melhor do que ninguém, portanto siga seus instintos e não se sinta culpada por dar mais atenção se achar necessário.

Os vários usos de um objeto

Grande parte dos bebês passa agora a explorar as variáveis de um objeto, chacoalhando, batendo, deixando cair no chão e atirando para longe, antes de voltar ao bom e velho método de colocar qualquer coisa na boca. O conceito de que dá para fazer alguma coisa com um objeto está vindo à tona, então é uma boa hora para ter em casa brinquedos com muitas partes para bater, apertar, virar e abrir.

Neste estágio, as crianças gostam de ver coisas caindo, sendo apanhadas (por você, claro) e depois sendo jogadas no chão novamente. Seu filho não está só tentando te provocar, por mais que pareça; ele simplesmente acha esse espetáculo sensacional e vai querer vê-lo muitas e muitas vezes.

O bebê também entende a relação entre os objetos. Ele percebe, por exemplo, que coisas menores cabem em maiores. Seu filho vai achar com facilidade alguma coisa que você escondeu e conseguirá apontar para a imagem certa quando o nome de um objeto for dito. Nos próximos meses, o bebê vai começar a usar as coisas para a finalidade correta: a escova para o cabelo, o copinho para beber e o telefone de brinquedo para encostar no ouvido e "falar" seus sons favoritos.

Visão mais clara

A visão do bebê agora é praticamente igual à de um adulto em clareza e percepção de profundidade. Embora enxergue melhor de perto do que de longe, ele vê o suficiente para reconhecer pessoas e objetos do outro lado da sala.

Será que o desenvolvimento do meu filho é normal?

Lembre-se, cada bebê é de um jeito e atinge certos marcos de desenvolvimento físico no seu próprio ritmo. O que apresentamos são apenas referências de etapas que seu filho tem potencial para alcançar -- se não agora, em pouco tempo.

Caso seu filho tenha nascido prematuro, é provável que você observe que ele leva um pouco mais de tempo para fazer as mesmas coisas que outras crianças de idade similar. Não se preocupe, a maioria dos médicos avalia o desenvolvimento de um prematuro conforme a idade corrigida e acompanha seu progresso levando isso em conta.
 
 
Fonte: Baby Center
4

Exantema Subito ou Roséola

Davi com Roseola
 Hoje meu Davi está se recuperando da Roséola, já tinha lido sobre ela, mas eu nunca tinha pensado que meu bebê fosse pegar essa doença.
Começou com uma frebe altissíma (39 °) repentina, que durou cerca de 4 dias, no quarto dia a febre veio somente duas vezes e surgiu uma erupção cutanea de cor rosada, primeiro no rosto e foi descendo para o resto do corpo.
No primeiro dia da febre eu dei o antitérmico (Tilenol bebê), a febre abaixava mas voltava com toda a intensidade deixando meu bebê cada vez mais irritado e abatido.
No segundo dia, a febre ainda estava altissima, fiquei muito preocupada, levei-o a pediatra... lá ela pediu exames de sangue e de urina, mas já com a suspeita de algum virus, até mesmo mensionou a bendita da Roséola...
Fiz os exames laboratoriais no dia seguinte, e a tarde confirmou-se a suspeita, realmente era um virus que estava causando todo essa estrago no pequeno. A pediatra então, olhou os exames e disse que não estava especificando qual o tipo de virus era, mas que eu tinha que observar, se a febre persistisse depois de 4 dias, era para eu levar o bebê ao Centro Médico... E foi o que eu fiz, no quarto dia de febre, onde apareceram as manchas pelo corpo, eu fiquei mais preocupada ainda, pois até então, eu não sabia que vírus era esse que ele tinha...
Mas quando cheguei ao hospital, a pediatra (ótima, por sinal) examinou o Davi e na hora disse que pelas caracteristicas clinicas ele estava com Exantema Súbito. Pediu um raio x, só por desencargo de consciência, pois ela disse que muitas vezes essas doenças causadas por virus, podem vir acompanhadas de pneumonia.
Mas graças  a Deus, meu Davi não tinha nada... A pediatra me orientou a continuar com o antitérmico e banhos mornos caso a febre voltasse, e que a erupção cutanea iria desaparecer em 3 dias.

Bom, resumo da ópera... Agora que meu bebezinho está melhor, mas ainda continua sem muito apetite...

Pra quem não conhece o Exantema Súbito ou Roseola (nome popular) segue algumas considerações:

Roseola, também chamada de exantema súbito ou sexta doença, apesar de ser parecida com a rubeola, é provocada por outro vírus, o herpes vírus humano tipo 6 (HHV-6) que, em geral, infecta crianças nos primeiros meses de vida e até os 3 anos. A transmissão ocorre de uma pessoa para outra, durante o período febril.
Adultos imunodeprimidos são vulneráveis à infecção pelo HHV-6.
Sintomas e diagnóstico
O período de incubação do vírus vai de 5 a 15 dias. O sintoma inicial é a febre alta (38ºC a 40ºC) durante três ou quatro dias. À medida que ela vai caindo, surge uma erupção cutânea (maculopápulas rosadas), que se concentra mais no tronco e menos na face e nos membros, e desaparece em dois ou três dias.
Os gânglios localizados na parte de trás da cabeça e no pescoço podem aumentar de tamanho. Nessa fase, a criança pode ficar irritada, um pouco abatida e sem apetite.
O diagnóstico é clínico. Raramente se torna necessário pedir exames laboratoriais para confirmá-lo ou estabelecer diagnóstico diferencial.
Tratamento
Não há vacina contra a roséola. O tratamento é sintomático, com medicamentos para baixar a febre, pois, se subir muito, há o risco de ocorrerem convulsões.
Recomendação importante
* Mantenha sob controle a temperatura da criança. Siga rigorosamente a orientação médica para administrar os medicamentos antitérmicos. Banhos mornos, quase frios, também são um recurso importante para baixar a febre que teima em subir.

 
Fontes: Drauzio Varella

*Sugestão: Pra quem quiser saber mais sobre essa doença, achei um blog bem legal que fala mais especificamente sobre Roseola:  Dicas do Pediatra

1

7 meses

  Já se passaram sete meses desde o seu nascimento... e a cada dia que passa faz a mamãe e o papai mais felizes!!!! Te amamos mais que tudo...

O que um bebê de sete meses consegue fazer?

Agora o bebê começa a se preparar para ser independente e se locomover pela casa.

É hora de o bebê ficar sentado. Com 7 meses, sua coluna já está mais firme e o bebê já consegue ficar sentado sozinho, às vezes inclinado para frente e com as mãos apoiadas no chão para não desequilibrar. Com o tempo, ele vai ganhando confiança e passa a ficar sentado com a coluna bem retinha, sem nenhum tipo de apoio.
Nessa fase o bebê se prepara para engatinhar e começa a se locomover voluntariamente. Eles se arrastam e rolam para alcançar objetos que estão longe e alguns chegam até a inventar moda se arrastando sentado.
O progresso da linguagem é evidente e o bebê começa a usar sílabas como da-da, pa-pa, ga-ga. Ele se diverte com os sons que ele próprio emite.
Nessa fase, eles estão encantados com as pessoas. Os pequenos conhecem bem sua família e podem ficar encabulados se algum estranho pegá-lo no colo. Se forem conhecidos, vão adorar passar de um colo para o outro.
As brincadeiras que divertem aos 7 meses são as mais animadas, como aquela em que colocamos a criança sentada nos joelhos e fazemos como se ela estivesse andando de cavalinho. A criança ri alto com a brincadeira, gosta da sensação, fica excitada e pede mais quando paramos, se balançando e jogando o corpo para trás.
Participa ativamente das brincadeiras, não só “pedindo mais” com gritos e movimentos, mas também estabelecendo contato com as pessoas, olhando, balbuciando e até mesmo esboçando imitações.

Como estimular o bebê de sete meses?

O bebê ganha um novo ponto vista, ele agora ele está sentado e vê o mundo mais do alto. Novas possibilidades são descobertas.

Quando a criança começa a sentar, uma serie de brinquedos entram no seu campo de interesse e a brincadeira fica muito mais divertida. Ela está pronta para brincar com cubos que tenham guizos embutidos, caixas que se encaixem uma dentro da outra, brinquedos e argolas empilháveis.
Sentada, a criança pega um objeto com cada mão, troca os brinquedos de mão, e com isso, aprende cada vez mais. Sente a criança no chão e coloque seus brinquedos preferidos em volta dela. Ela vai observar, escolher um para brincar, depois trocar por outro. O bebê poderá se distrair assim durante muito tempo.
É interessante que o bebê brinque com outras crianças também. Em geral, os bebês gostam de observar e interagir com irmãos mais velhos e primos.
Lembre-se que a presença da mãe continua sendo fundamental para o desenvolvimento da criança.
Se a mãe trabalha fora o dia inteiro, poderá compensar sua ausência à noite e nos finais de semana. Nossa dica é que a mãe que trabalha não chegue em casa e apenas dê banho, comida e coloque a criança para dormir. O ideal é arrumar um tempinho diariamente para brincar com o bebê, ainda que esteja cansada. É nesses momentos de troca de carinhos, olhares e gestos que a mãe e o bebê vão se doar um ao outro.

Fonte: Guia do Bebe
2

O Andador é perigoso?


Agora que o Davi completou 6 meses, eu fiquei na dúvida se colocaria ou não ele no andador. Conversei com a minha mãe e ela me disse que se tivesse tido informação antes, não teria colocado o meu irmãozinho mais novo (hoje com 5 anos) nesse aparelho perigoso... Quando ele tinha uns 6 meses mais ou menos, estava no andador, caiu e quase fraturou o nariz.
A velocidade que o bebê atinge no andador é muito grande e torna-se um perigo para ele.
Colocar um bebê num andador é como dar uma Ferrari a um adolescente: o risco de acidente é enorme. Tanto que, em abril de 2007, o Canadá proibiu esse tipo de equipamento.
Dados britânicos também mostram que o andador é o equipamento infantil que mais provoca acidentes e lesões, em especial devido à velocidade que os bebês podem atingir.
A maioria dos acidentes acontece quando o bebê tromba em alguma coisa, encontra um degrau ou um obstáculo e o andador vira. Um simples sapato ou brinquedo no meio do chão já pode causar esse tipo de acidente. Em geral, a primeira parte do corpo do bebê a ser atingida em um acidente com andador é a cabeça, podendo haver traumatismos cranianos de diversas proporções -- desde leves, sem consequências, até bem mais graves e, em casos extremos, fatais.
Outro perigo é a falsa sensação de segurança que o andador transmite a quem está tomando conta da criança. Como ela está presa no andador, as pessoas tendem a deixá-la por mais tempo sozinha, quando na verdade deveria acontecer justamente o contrário. O bebê provavelmente fica mais seguro se está no chão, desde que o ambiente tenha sido preparado para ele.
Além disso, os andadores não contribuem nada para a criança aprender a andar. Na verdade, podem até atrasar um pouco o processo. Para atingir os marcos do desenvolvimento, o bebê precisa passar pelas fases de rolar, sentar, engatinhar (é verdade que alguns pulam essa fase) e brincar no chão. 
Atenção dos responsáveis é fundamental - Os pais pensam no andador como uma ajuda para a independência dos filhos. Com os filhos colocados dentro do aparato, os pais se consideram mais tranquilos para que possam fazer a comida, passar roupa ou assistir televisão, deixando-os sozinhos. Engano grande. Com o andador, a atenção deve ser redobrada.
A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) realizou um estudo com 40 crianças (metade usou andador e outra metade não) e concluiu que o andador não traz benefícios e nem prejuízos quanto ao desenvolvimento motor da criança.
“Uma das principais restrições ao andador dizia respeito ao alto número de acidentes que ele pode provocar, mas percebemos que isso é consequência da negligência dos pais. Independentemente do uso do andador, eles devem estar sempre atentos aos filhos nessa fase de exploração e descobertas”, afirma Marisa Mancini, orientadora do projeto do Departamento de Terapia Ocupacional da UFMG.

Bom, eu acredito que vá da consciência de cada um, se os pais optarem por usar o aparelho é preciso cuidar para evitar acidentes com o mesmo, a minha irmã colocou o meu sobrinho e  nunca aconteceu nada... a minha cunhada também colocou e deu certo... Mas eu já decidi, não vou colocar o meu pequeno... vou deixar a natureza fazer sua parte...


Fontes: Baby Center, Guia do Bebê
2

6 meses




Hoje meu Davi faz 6 meses...

O que um bebê de seis meses consegue fazer?

Com seis meses o bebê usa as mãos para descobrir o mundo. Quer pegar, alcançar, amassar, apertar. Bate com os objetos no chão e na beira da cama para fazer barulho e começa a se interessar realmente pelos seus brinquedos. Sua percepção já está evoluída a ponto de conseguir encontrar um objeto escondido se tiver uma parte visível.

Se o bebê estiver entretido com um brinquedo e alguém tentar tirá-lo de suas mãozinhas, terá dificuldades. Ele usa movimentos do corpo e aperta com mais força o objeto para não entregar. Esse é um claro sinal da inteligência do bebê.

Outro exemplo é quando estamos brincando com ele, falando e mostrando um objeto e paramos de repente. Logo o bebê começa a fazer sons e balançar os bracinhos pedindo mais.

Eles gostam de audiência. Quanto mais gente por perto rindo e se divertindo com as suas gracinhas, mais feliz o bebê está.

Ele fica bastante tempo entretido com seus brinquedos e, se estiver apoiado, consegue sentar. Mas os pais precisam ficar sempre atentos. Aos 6 meses os bebês são rápidos, jogam o corpo, rolam e os tombos podem acontecer a qualquer hora.

Seu equilíbrio e coordenação motora já estão bem evoluídos e ele é capaz de se virar para um lado, para o outro, para frente e para trás.

A linguagem continua se desenvolvendo e agora o bebê balbucia para os brinquedos, usa consoantes e vogais diversas, resmunga e gargareja. Também consegue usar tonalidades diferentes para demonstrar raiva, alegria, dúvida, desapontamento.

Nessa fase o bebê já distingue perfeitamente rostos familiares e estranhos. Seu comportamento social pode ser percebido no reconhecimento de pessoas da família.

Como estimular o bebê de seis meses?

O desenvolvimento mental está fortemente ligado aos estímulos que o bebê recebe. Por isso, é fundamental que os pais conversem e falem com o bebê, mesmo que ele não entenda o significado das palavras. Mostre as cores e diga os nomes, imite o barulho dos animais, cante musicas infantis, aponte as partes do corpo e diga os nomes.

A voz da mãe é muito importante para incentivar a fala do bebê. Aos 6 meses, ele tenta modular suas emissões vocais de acordo com o que ouve da mãe.

O contato com outras crianças, principalmente com irmãos mais velhos, é excelente, pois facilita tanto o desenvolvimento mental quanto o social. Ele aprende a dividir, se comunicar, respeitar, impor suas vontades.

Incentive-o a se arrastar para pegar os brinquedos. Coloque seu brinquedo preferido a alguns centímetros de onde ele está e faça movimentos, barulhos e chame o bebê. Essa etapa em que ele começa a se locomover para alcançar objetos é importante para o aprendizado do engatinhar.
10

Canções de ninar e Oração do anjinho

Quando vou colocar o Davi pra dormir sempre canto canções de ninar pra ele se acalmar, relaxar e dormir tranquilo.
Ele gosta tanto, que quando começo a cantar, já me olha sorrindo. É um momento muito especial entre mãe é filho... gosto de demonstrar todo o meu amor e afeto, passando segurança e conforto pra hora de dormir.

Essas são algumas das canções que canto pra ele:

"Dorme a flor, dorme o cisne... sob um lago tranquilo
Dorme o ódio, dorme a dor... fale baixo por favor!
Eu só sou uma criancinha, inocente senhor,
Só o amor e a esperança mora no meu coração!!!"

"Boi, boi, boi... boi da cara preta 
pega esse menino que tem medo de careta...
Não, não, não... não pega ele não
Ele é bonitinho, ele chora coitadinho!"

 Acho muito importante que o momento de dormir seja calmo e tranquilo, pra que a noite também seja calma e meu bebê tenha um sono de qualidade.

Antes de dormir, também faço com ele a oração do Anjo da Guarda... junto as mãozinhas dele e digo:


Meu filho é um presente de Deus, portanto toda noite confio a Ele a vida do meu bebê e peço proteção do anjo da guarda.

Outra oração :



Então fica a dica pra quem segue uma rotina do sono tranquilo...
0

Oito regras da brincadeira infantil...



Esses dias eu estava vendo o meu irmão (5 anos) e sobrinho (1ano e 7 meses) brincando na sala com alguns brinquedos, na casa da minha mãe, estava tudo na santa paz, quando de repente meu irmãozinho vem chorando dizendo que o outro tinha tomado o brinquedo dele... foi um Deus nos acuda, um chororo, cada um que dizia "o brinquedo é meu"... até que ambos esqueceram e foram brincar de outra coisa...pois é, vai entender o pensamento desses pequenos!
Foi nesse momento  que eu lembrei de ter achado no livro da Encantadora de Bebês, as "Oito regras da brincadeira infantil", na perspectiva da criança, é claro, segue abaixo:
  1. Se eu gosto, é meu.
  2. Se esta nas minhas mãos, é meu.
  3.  Se eu posso tirar de você, é meu.
  4. Se estava comigo no minuto anterior, é meu.
  5. Se é meu e não há provas de que é seu, é meu.
  6. Se eu estou fazendo ou construindo algo, todas as peças são minhas.
  7. Se parece meu, é meu.
  8. Se eu acho que é meu, é meu. 
Esse é o egocentrismo da criança falando mais alto... portanto, cabe a nós adultos, pais responsáveis orientar a criança quanto a esse pensamento infantil, ensinar a dividir e compartilhar os brinquedos com outras crianças.
0

Desvendando mitos...


Quando a mulher engravida é uma alegria, e se for o primeiro filho então...
Mas com essa alegria vem os palpites alheios. Não que todos os palpites sejam descartáveis, mas muitos deles temos que filtrar e analisar se não passa de mitos.
Pesquisando na internet, achei alguns mitos desvendados:
  • BEBÊS NÃO DEVEM TOMAR CHÁS? - Mito. Esta afirmativa é verdadeira quando a criança está em aleitamento materno até o sexto mês de vida. Nesse caso, deve-se evitar a ingestão de chás, pois podem prejudicar as mamadas e a absorção de ferro. Os chás devem ser preparados em infusão e sem adição de açúcar. O chá preto e o mate devem ser evitados por conterem cafeína. 
  • ATÉ QUE O UMBIGO CAIA É NECESSÁRIO TAPÁ-LO? Mito. A limpeza do coto umbilical deve ser feita com álcool a 70%. O umbigo costuma secar durante a primeira semana de vida e cair entre oito e dez dias. Manter a área do umbigo sempre limpa e seca auxilia no processo de cicatrização. Por esse motivo, é preferível, inclusive, deixá-lo para fora da fralda. Importante destacar que o coto umbilical não dói. 
  • AMIDO DE MILHO PREVINE ASSADURAS? Mito. Em alguns casos, a utilização de uma papa de amido de milho pode auxiliar (efeito calmante) quando a dermatite já estiver instalada. Por ter a forma de talco, o amido de milho deve inclusive ser evitado pelo risco de acidente (aspiração). 
  • VIRAR O BEBÊ PRA BAIXO DIMINUI AS DORES DE CÓLICA? Nem mito, nem verdade. A cólica costuma acontecer nos primeiros três meses de vida da criança, tendo múltiplas causas. São também várias as iniciativas usadas como auxiliares para diminuição da dor do bebê e da ansiedade dos pais, como o uso de fraldas aquecidas ou colocar a criança de bruços sobre o colo ou a mão dos familiares. Nenhuma dessas iniciativas, entretanto, mostrou-se eficaz nos estudos realizados, mas é preferível sua utilização ao uso de medicamentos, que não têm eficácia comprovada e podem causar efeitos colaterais na criança. 
  • LÃ NA TESTA FAZ O SOLUÇO PASSAR? Mito. Os soluços, assim, como os espirros são frequentes no bebê e ocorrem nas mudanças de temperatura, como no banho ou ao trocar as fraldas. Inócuos, os soluços não doem e podem ser aliviados colocando a criança ao seio para amamentar ou, simplesmente, acalentando-a. 
  • A ALIMENTAÇÃO DA MÃE PODE INTERFERIR NAS CÓLICAS DO BEBÊ? Verdade. No entanto, é preciso deixar claro que não há necessidade de dietas especiais para a mãe que amamenta, devendo-se evitar apenas o consumo excessivo de alguns alimentos que podem provocar irritabilidade e/ou aumento dos movimentos intestinais como café e chocolate (considera-se excessivo o consumo de mais de 450g/dia). 
  • CHUPETA ALTERA O DESENVOLVIMENTO BUCAL E DA FALA? Verdade. É importante não encorajar o uso da chupeta. Quando a criança já tem esse hábito, recomenda-se o uso da chupeta quando a criança for dormir, devendo-se retirá-la em seguida. Evite que a chupeta seja acessível para a criança. Não é recomendável o uso de prendedores (inclusive pelo risco de acidentes) e também de fraldinhas presas à chupeta, que só pioram as alterações provocadas. 
  • RECÉM-NASCIDOS SENTEM MUITO FRIO E DEVEM ESTAR SEMPRE AGASALHADOS? Mito. Agasalhar demais os bebês pode provocar hipertermia. 
  • SONECAS DIURNAS SÃO IMPORTANTES PARA OS BEBÊS? Verdade. A qualidade das sonecas diurnas é, inclusive, importante para a qualidade do sono noturno. 
  • COPINHO PODE SUBSTITUIR MAMADEIRA? Verdade. Não há necessidade do uso de mamadeiras. Após o sexto mês, na passagem para os alimentos complementares, pode-se introduzir diretamente os copinhos. O mesmo é feito quando a mãe ordenha o leite para uso posterior. Nesses casos, o leite materno é oferecido em copinhos ou por meio de colheradas. 
  • DAR BANHO À NOITE PODE CAUSAR CÓLICAS? Mito. Apesar dos conselhos sobre banhos noturnos essa é a técnica mais indicada para acalmar o bebê e diminuir as cólicas. Pode ser feito todas as noites, não tem problema.
Fonte: Bolsa de Mulher
2

Paternidade Acidental



Este termo Paternidade Acidental é utilizado pela Tracy Hogg, a Encantadora de Bebês, para denominar toda solução rápida e prática, porém não a correta, que temos em diversas situações com o bebê.
Muitas vezes, quando o bebê acorda na madrugada, a mãe da o peito e ele dorme, é claro que é muito mais fácil e confortável, pois o bebê mama e dorme... só que se fizer isso uma vez, ele vai querer sempre, pois o cérebro do bebê envia uma informação de que é pra ele acordar sempre naquele horário pra mamar, e se a mãe não der...é chororô na certa! Com o Davi é assim mesmo que funciona... mesmo eu cortando a mamada da madrugada, ás vezes,  ele ainda acorda entre as 4 h e 4 e meia da manhã pra "brincar"... e se eu dou mamá... pronto!!! ele acorda na próxima noite no mesmo horário...
Não tenho nada contra quem amamenta de madrugada, mas se você já cortou a mamada da madrugada,  e cai na paternidade acidental, vai tudo por água abaixo e seus esforços terão sido em vão.
Outro exemplo de paternidade acidental, é levar o bebê pra cama da gente no meio da noite... se fizer isso uma vez... o bebê vai se acostumar. E se o bebê dorme no próprio berço desde sempre, ele vai passar a não querer dormir mais lá...
Entrar correndo no quarto do bebê de madrugada, quando ele faz os ruidos de bebê, é uma forma de paternidade acidental que reforça o bebê acordar no mesmo horário na próxima noite. Temos que parar e escutar os sons que o bebê produz, que é natural. Normalmente os bebês acordam entre as 4h e 6h da manhã e se os pais não entraram correndo no quarto sobressaltados, muitas vezes o bebê volta a dormir outra vez sozinho (caso ele tenha desenvolvido essa habilidade).
Os campeões de paternidade acidental são os papais!!! Não que as mamães também não comentam, só eles ganham! Se a mamãe tenta cortar a mamada da madrugada, o papai diz: "Dá mamá pro menino!!!"
Se o bebê acorda no meio da noite, o papai diz: "Traz ele aqui pra cama!" Se o bebê não quer dormir de dia, o papai diz: "Deixa o menino, ele não quer dormir..." e por aí vai...rsrsrs
O importante é começar as coisas do jeito que quer continuar, seguindo a intuição de mãe, pois se for começar de uma forma e querer mudar no meio do caminho, pode ter certeza que vai ter protesto em forma de choros...


59

Rotina EASY by Encantadora de Bebês


 Depois de constatar que meu Davi, com quase 2 meses não dormia de dia ou de noite, só queria colo,  e resolvido o problema de alimentação, decidi que era hora de colocar uma rotina!
Pesquisei na internet dicas de como fazer o bebê seguir uma rotina, achei muitas coisa em blogs e foruns de mamães... Então achei a galinha dos ovos de ouro... os livros "Os segredos de uma encantadora de bebês" e "A encantadora de bebês resolve todos os seu problemas" onde ensina praticamente tudo o que precisa saber sobre bebês, comprei os livros e coloquei o plano em prática!!!
No livro ela ensina a rotina EASY:
E Eat(comer), mamar, assim que acordar. É o melhor momento para ser alimentado uma vez que está descansado e terá menos chance de adormecer enquanto mama.
A Activity(atividade), deve fazer alguma atividade como troca de fraldas, brincadeira ou banho dependendo do horário e da idade do bebê. Se for recém nascido a atividade é basicamente trocar a fralda e talvez trocar de roupa pois logo já estará pronto para dormir de novo.
S Sleep(sono), assim que o bebê apresentar sinais de cansaço deve-se começar o processo para colocá-lo para dormir
Y You(você) finalmente enquanto o bebê dorme temos algum tempo para nós...

A rotina é de 3 em 3 horas para os bebês até 3 meses:

EASY de 3 horas
E
7:00h
Acordar e mamar
A
7:30 / 7:45
Atividade
S
8:30h
Soneca de 1:30h
Y
você
A escolha é sua!
E
10:00h
Mamar
A
10:30/10:45
Atividade
S
11:30h
Soneca de 1:30h
Y
você
A escolha é sua!
E
13:00h
Mamar
A
13:30/13:45
Atividade
S
14:30h
Soneca de 1:30h
Y
você
A escolha é sua!
E
16:00h
Mamar
S
17h ou  18h
Soneca rápida, aprox. 40 min
E
19:00h
Refeição robusta
A
Atividade
Banho
S
19:30h
Hora de dormir
Y
você
A noite é só sua!!!
E
22h ou 23h
Mamada dos Sonhos

 Quando o bebê faz 4 meses, passa a interagir mais com o mundo que o cerca, por isso a rotina diária deve mudar, nessa fase a maioria dos bebês estão prontos para seguir a rotina 4X4, o que significa EASY de 4 horas, faz sentido pois o bebê passa a ficar mais tempo acordado durante o dia e dormir por mais tempo a noite. O Bebê também se alimenta com mais eficiência, mamando mais a cada vez.

EASY de 4 horas
E
7:00h
Acordar e mamar
A
7:30
Atividade
S
9:00h
Soneca de 1:30h a 2h
Y
você
A escolha é sua!
E
11:00h
Mamar
A
11:30
Atividade
S
13:00h
Soneca de 1:30h a 2h
Y
você
A escolha é sua!
E
15:00h
Mamar
A
15:30
Atividade
S
17h ou  18h
Soneca rápida, aprox. 40 min
Y
você
A escolha é sua!
E
19:00h
Refeição robusta
A
Atividade
Banho
S
19:30h
Hora de dormir
Y
você
A noite é só sua!!!
E
22h ou 23h
Mamada dos Sonhos

Obs: Quando o bebê estiver passando por um pico
de crescimento, deve alimentá-lo as 21h também.

A rotina EASY são ciclos que se repetem, garantem a previsibilidade ao bebê e facilita para a mãe descobrir o que ele quer, interpretando o seu choro. 
Conforme o bebê for ficando mais esperto, não sinta medo em fazer mudanças na rotina, ela bem flexível, e saiba que cada bebê é unico em suas características, portanto sempre haverá  alguma alteração em 15 ou 30 minutos, por parte dele.
O Davi já segue a rotina de 4 horas, pois quando fez 4 meses a de 3 horas passou a ser ineficaz, onde ele passou a acordar a noite de 2 a 3 vezes, e quando fiz as alterações necessárias tudo se estabilizou sem crise.
O importante é seu bebê crescer feliz e saudável, e que a mamãe curta cada segundo se divertindo sempre!!!



Fontes: O sono do bebê, Os segredos de uma encantadora de bebes
Free Baby Roll ani Cursors at www.totallyfreecursors.com