0

1 ano e 2 meses


Experimentação é com ele mesmo. Nessa fase, seu filho quer apertar, sacudir e derrubar os brinquedos. Tudo o que ele pega vai logo parar no chão. Esse comportamento, na visão dos adultos, parece não ter sentido, mas é assim mesmo que o bebê descobre os limites do mundo e as características dos objetos.
A exploração, por sinal, não deve ser reprimida. Entre na brincadeira e ofereça apetrechos apropriados a essa faixa etária. Ele vai se divertir com os objetos para arrastar, montar e desmontar. Se conseguir arremessar alguns deles, melhor ainda.



Como seu filho está crescendo 

Já reparou que quase todo dia seu filho faz uma coisa nova? Uma hora aprende a mandar beijos e derrete o coração de todo mundo, outra experimenta usar um copo em vez da mamadeira. Mas ainda não dá para achar que ele vai comer na mesa direitinho, como um adulto. É assim mesmo, por enquanto a sujeira e a bagunça fazem parte de toda refeição.

Agora que a alimentação dele é mais parecida com a sua, deixe-o testar a independência na hora de comer. Coloque o cadeirão numa superfície fácil de limpar, e que comecem as experiências: a colher na mão nem sempre vai para a boca, o ovo cozido ou a banana vão ser esmagados... Tenha paciência (desde que a experiência não seja jogar tudo no chão para encerrar a refeição logo, é claro!). Ao observar os adultos comendo, ele vai começar a entender qual é o comportamento "normal" à mesa.

Como fica sua vida: perigos à vista 

É sempre assim: basta dizer "não pode!" ou "aí não!" que a coisa passa a ficar mil vezes mais interessante. O jeito é prestar o máximo de atenção à segurança da sua casa, para você poder ficar mais tranquila. Tire as coisas frágeis do alcance da criança, veja se não há móveis que possam virar em cima dela, faça uma revisão nos potenciais perigos domésticos.

Preste atenção especial na cozinha, banheiros e área de serviço, onde é maior o risco de intoxicação e acidentes. 

Fontes: Bebe Abril e Baby Center 
6

A mais perfeita definição de filho!!!




Ele é o nó no meu cabelo.
O esmalte descascado na minha unha,
as olheiras no meu rosto.
Ele é o brinquedo na gaveta de roupas,
o amassado nas páginas do meu livro,
o rasgado no meu caderno de anotações.
Ele é o melado no controle remoto,
o canal de televisão,
o filme no DVD.
Ele é o farelo no sofá,
As tesouras no alto.
Ele é o backup no computador,
o mouse escondido,
as cadeiras longe da janela.
Ele é a marca de mão nos móveis,
o embaçado nos vidros,
o desfiado nos tecidos.
Ele e o ventilador desligado,
a porta do banheiro fechada,
a gaveta da cômoda aberta.
Ele é o coque na minha cabeça,
o amarrotado nas roupas,
as frutas fora da fruteira,
os panos de prato amarrando os armários.
Ele é o meu shampoo cheio de água,
a espuma no chão do banheiro,
o brinquedo dentro da privada.
Ele é o interruptor nas tomadas.
Ele é o peixe no áquario,
a árvore de natal,
os "pisca-pisca" de todas as casas.
Ele é o círculo, o susto.
A primeira visão da lua no começo da noite.

O valor do trabalho, a vontade de aprender,
a minha força,
a minha fraqueza,
a minha riqueza.
Ele é o aperto no meu peito diante de uma escada,
a ausência de sono diante de uma febre.
Ele é o meu impulso, o meu reflexo, a minha velocidade.
O cheirinho no meu travesseiro,
o barulho,
a metade,
o azul.
Ele é o vazio triste no silêncio de dormir,
o meu sono leve durante a noite.
Ele e o meu ouvido aguçado enquanto durmo.
A minha pressa de levantar da cama,
a minha espera de bom dia.
Ele é o arrepio quando me chama,
a paz quando me abraça,
a emoção quando me olha.
Ele é meu cuidado, a minha fé,
o meu interesse pela vida,
a minha admiração pelas crianças,
o meu respeito pelas pessoas,
o meu amor por Deus.
É o meu ontem,
o meu hoje,
o meu amanhã.
Ele é a vontade,
a inspiração,
a poesia.
A lição, o dever.
Ele é a presença, a surpresa
a esperança.

A minha dedicação.
A minha oração.
A minha gratidão.
O meu amor mais puro e bonito.
A minha vida! 
É o meu filho!!!

 Nadia Maria
(www.nadiamaria.com/zion)
0

Leite Materno

 Quais as partes do leite materno?


Se você deixar uma mamadeira com leite materno descansar por 1 hora, ele se separa em três partes: de cima para baixo, você verá um líquido progressivamente mais grosso. É assim que seu leite é enquanto o bebê suga:
  • Primeiros 5-10 minutos: Ele é parecido com a espuma do leite, satisfaz a sede do bebê. É rico em oxitocina, o mesmo hormônio liberado durante o ato sexual e que, na mamada, afeta mãe e bebê: a mãe fica bastante relaxada, semelhante à sensação posterior ao orgasmo, e o bebê fica sonolento. Essa parte do leite materno também apresenta a maior concentração de lactose.
  • Depois de 5 ou 8 minutos de mamada: Mais parecido com a consistência do leite normal, é rico em proteínas, o que é bom para os ossos e o desenvolvimento do cérebro do bebê.
  • Depois de 15 ou 18 minutos de mamada: Este leite é grosso e cremoso e é nele que estão todas as gorduras boas. É a "sobremesa", que ajuda o bebê a ganhar peso.

 Quanto Mama um Bebê


A menos que você bombeie e pese o leite (veja a dica abaixo), é difícil saber a quantidade que seu bebê está ingerindo. Apesar de não ser legal ficar observando o relógio, muitas mães perguntam quanto tempo o bebê demora para mamar. À medida que crescem, eles se tornam mais eficientes em mamar e demoram menos. Segue abaixo uma estimativa, seguidas pelas quantidades aproximadas consumidas a cada mamada:

4-8 semanas: até 40 minutos (57-140g)
8-12 semana: até 30 minutos (115-170g)
3-6 meses: até 20 minutos (140-227g)

Dica: Se você estiver preocupada com o suprimento de leite, faça por dois ou três dias o que a Encantadora de Bebês chama de"exame da produção" - um conceito utilizado nas fazendas inglesas. Uma vez por dia, quinze minutos antes da mamada, bombeie o leite e meça quanto você está produzindo. Levando em consideração que o bebê pode extrair no mínimo 30 ml a mais pela sucção ativa do seio, você já terá uma ideia de quanto está produzindo.
11

P.U./ P.D..: Pegar no colo (Pick up) e colocar no berço (Put Down)

Uma Ferramenta de Treinamento do Sono - 4 meses a 1 ano (ou mais) By Encantadora de Bebês

O que é o P.U./P.D.?

 Pegar no colo e colocar no berço é uma ferramenta de ensino, e também um método de solução de problemas. Com ele, a criança não depende de você nem de nenhum tipo de acessório para dormir, e não se sente abandonada. Não se deve abandonar a criança para que ela descubra as coisas sozinha - esteja à disposição dela, mostre-se presente, e não faça o "choro controlado".
Se a criança tem o sono agitado ou precisa de um acessório para dormir, é fundamental mudar esses hábitos antes que eles se tornem enraizados ou piorem.
O vício em acessórios, como todos os tipos de dependência, apenas piora com o tempo. E é nesse momento que o P.U./P.D. entra em ação. Utiliza-se para:
  • Ensinar os bebês dependentes de acessórios a adormecer sozinho, durante o dia e à noite;
  • Estabelecer uma rotina para os bebês mais velhos, ou restabelece-la quando os pais se desviaram do caminho;
  • Ajudar o bebê a fazer a transição entre a rotina de 3 para 4 horas;
  • Estender sonecas muito curtas;
  • Incentivar o bebê a dormir mais pela manhã, quando costuma acordar cedo - por causa de algo que os pais fizeram e não pelo seu biorritmo natural;
O P.U./P.D. não é nenhuma mágica. Ele exige muito esforço (e é por isso que o melhor que os pais coordenem seus esforços e façam turnos.
Veja como o P.U./P.D. é um procedimento simples:
Quando a criança chora vc entra no quarto dela. Primeiro, tenta confortá-la com palavras e coloca a mão suavemente em suas costas. Até os seis meses, você também pode usar o método de dar tapinhas/silenciar. Para os mais velhos, esse método (principalmente o som do "shh") perturba o sono; portanto, apenas colocamos as mãos nas costas da criança, em vez de impor nossa presença. Se ela não parar de chorar, pegue-a no colo. Porém, coloque-a no berço no minuto que ela parar de chorar (nem um segundo depois). Você está confortando, não fazendo-a dormir - ela precisa fazer isso sozinha. Se o bebê chorar e arquear as costas, no entanto, coloque-a no berço imediatamente. Nunca lute com uma criança enquanto ela chora. Porém, mantenha o contato colocando a mão firmemente nas costas dela, para que ela saiba que você está ali. Fique com ela e diga: "Está na hora de dormir, querido; Você vai dormir agora."
Mesmo que o bebê chore no minuto em que sai dos seus braços ou enquanto é colocado no berço, deite-o no colchão. Se ele estiver chorando, pegue-o de novo. A ideia é dar-lhe conforto e segurança, e deixar que ele sinta essa emoção. Basicamente , você diz: "Você pode chorar, mas papai/mamãe está bem aqui. Eu sei que você tem dificuldades para voltar a dormir, por isso estou aqui para ajudá-lo.
Se você o deita e ele chora, volte a pegá-lo. Mas lembre-se de não insistir se ele arquear as costas. Parte dessas lutas e contorções é que ele está tentando voltar a dormir. O fato de afastar-se de você e arquear o corpo é a maneira que este bebê utiliza para se acalmar. Não se sinta culpada, você não o está machucando. 
Se você fizer o P.U./P.D. corretamente - pegá-lo no colo e colocá-lo no berço no minuto em que ele para de chorar - ele logo entenderá melhor a situação e chorará menos. No começo, ele pode fazer manha, engasgar entre o choro, pois está diminuindo o seu nível de energia.
A base o P.U./P.D. é reafirmar e reconquistar a confiança. Essa ferramenta não impede o choro. Porém, evita o medo do abandono, porque você fica com a criança e a conforta quando ela chora. Ela não está chorando porque odeia os pais ou sente mágoa. Ela chora porque está tentando fazê-la dormir de uma forma diferente, o que a frustra. As crianças choram quando você muda seus hábitos. Porém, a causa básica disso é a frustração - e isso é muito diferente de chorar por ter sido deixado sozinho; ser deixado sozinho faz o bebê gritar mais desesperado e assustado, de um modo quase primitivo, com o objetivo de trazer a mãe ao quarto imediatamente.
Para ser eficaz, o P.U./P.D. precisa ser apropriado do ponto de vista do desenvolvimento. Afinal, é diferente lidar com uma criança de 4 meses e uma de 11 meses. Portanto, faz um grande sentido adaptar o P.U./P.D., às necessidades de cada característica mutável do bebê.

Observação importante: Eu apliquei essa técnica com o Davi, no começo parece quase impossível dar certo, mas com o passar do tempo você vê que realmente funciona!!!

Fonte: Livro A Encantadora de Bebês resolve todos os seus problemas

Free Baby Roll ani Cursors at www.totallyfreecursors.com