2

8 meses...

Davi com 8 meses

  O bebê de 8 meses

Senta, engatinha e fica de pé

Agora que tem 8 meses, é possível que o seu bebê esteja sentando sem apoio e talvez até engatinhando ou se movimentando pela casa se arrastando sentado. Ele deve estar começando a passar da posição sentada à ereta com o auxílio dos móveis. Se você posicionar seu filho perto de um sofá, ele provavelmente vai se agarrar às bordas com todas as suas forças para levantar.

Essa mobilidade toda se traduz em muitos tropeções e quedas. Essa é uma parte inevitável da infância e, embora você por vezes fique com o coração na boca, tente aproveitar esta etapa em que a criança explora e descobre seus limites. Reprimindo seus desejos mais profundos proteger seu filho a todo custo, você vai permitir que ele cresça e aprenda por conta própria. Agora, é fundamental que sua casa seja um ambiente seguro para crianças. Entre outras coisas, você deve se certificar de que objetos frágeis estejam posicionados em segurança (para que não caiam) e que móveis menos firmes fiquem em locais em que o bebê transita pouco. Retire qualquer objeto pequeno que o bebê possa enfiar no nariz, no ouvido ou na boca.

Uso das mãos

O bebê começa a procurar objetos no chão e usar o dedo para apontá-los. Ele também já consegue usar os dedos para pegar um pedaço de comida e segurá-la com a mãozinha fechada. Além disso, a criança aprendeu a abrir a mão para deixar objetos caírem no chão. Seu filho está aprimorando a capacidade de pegar pequenos objetos entre o polegar e o indicador ou o dedo médio.

Mais emotivo

A partir de agora, as emoções do bebê ficam mais evidentes. Ele já faz gracinhas, como mandar beijos para pessoas conhecidas, e tende a repeti-las se for aplaudido. Nos próximos meses, seu filho vai aprender a avaliar e imitar seu estado de humor. Ao ver alguém chorando, é possível que chore também.

Longe dos pais

Nesta idade, a maioria dos bebês já dá sinais de ansiedade de separação. Seu filho pode ficar mais tímido ou preocupado perto de desconhecidos, especialmente quando estiver cansado ou irritado. Nos momentos em que você não está por perto, ele demonstra chateação. Mesmo que seja desagradável, essa separação é importante. Ao se afastar, você ajuda no desenvolvimento da confiança do seu bebê e na formação de elos emocionais dele com outras pessoas.

Quando sair, beije e abrace seu filho e diga a ele que vai voltar. Caso ele fique assustado ou comece a chorar, não tenha dúvidas em reconfortá-lo e assegurar que você volta mesmo. É duro não começar a chorar quando ele chora, mas, se você não resistir, vai apenas prolongar o sofrimento dele. Nessas horas, é bom ter por perto uma outra pessoa com quem ele esteja familiarizado. Se o bebê fica ansioso no momento de se separar de você à noite, procure reservar um tempinho a mais para estar com ele, segurá-lo no colo, ler ou cantar uma música antes de colocá-lo de vez para dormir.

Alguns bebês lidam melhor com separações do que outros, dependendo do temperamento. Cada criança é de um jeito, e cada uma precisa de determinada quantidade de atenção. Você conhece seu filho melhor do que ninguém, portanto siga seus instintos e não se sinta culpada por dar mais atenção se achar necessário.

Os vários usos de um objeto

Grande parte dos bebês passa agora a explorar as variáveis de um objeto, chacoalhando, batendo, deixando cair no chão e atirando para longe, antes de voltar ao bom e velho método de colocar qualquer coisa na boca. O conceito de que dá para fazer alguma coisa com um objeto está vindo à tona, então é uma boa hora para ter em casa brinquedos com muitas partes para bater, apertar, virar e abrir.

Neste estágio, as crianças gostam de ver coisas caindo, sendo apanhadas (por você, claro) e depois sendo jogadas no chão novamente. Seu filho não está só tentando te provocar, por mais que pareça; ele simplesmente acha esse espetáculo sensacional e vai querer vê-lo muitas e muitas vezes.

O bebê também entende a relação entre os objetos. Ele percebe, por exemplo, que coisas menores cabem em maiores. Seu filho vai achar com facilidade alguma coisa que você escondeu e conseguirá apontar para a imagem certa quando o nome de um objeto for dito. Nos próximos meses, o bebê vai começar a usar as coisas para a finalidade correta: a escova para o cabelo, o copinho para beber e o telefone de brinquedo para encostar no ouvido e "falar" seus sons favoritos.

Visão mais clara

A visão do bebê agora é praticamente igual à de um adulto em clareza e percepção de profundidade. Embora enxergue melhor de perto do que de longe, ele vê o suficiente para reconhecer pessoas e objetos do outro lado da sala.

Será que o desenvolvimento do meu filho é normal?

Lembre-se, cada bebê é de um jeito e atinge certos marcos de desenvolvimento físico no seu próprio ritmo. O que apresentamos são apenas referências de etapas que seu filho tem potencial para alcançar -- se não agora, em pouco tempo.

Caso seu filho tenha nascido prematuro, é provável que você observe que ele leva um pouco mais de tempo para fazer as mesmas coisas que outras crianças de idade similar. Não se preocupe, a maioria dos médicos avalia o desenvolvimento de um prematuro conforme a idade corrigida e acompanha seu progresso levando isso em conta.
 
 
Fonte: Baby Center
4

Exantema Subito ou Roséola

Davi com Roseola
 Hoje meu Davi está se recuperando da Roséola, já tinha lido sobre ela, mas eu nunca tinha pensado que meu bebê fosse pegar essa doença.
Começou com uma frebe altissíma (39 °) repentina, que durou cerca de 4 dias, no quarto dia a febre veio somente duas vezes e surgiu uma erupção cutanea de cor rosada, primeiro no rosto e foi descendo para o resto do corpo.
No primeiro dia da febre eu dei o antitérmico (Tilenol bebê), a febre abaixava mas voltava com toda a intensidade deixando meu bebê cada vez mais irritado e abatido.
No segundo dia, a febre ainda estava altissima, fiquei muito preocupada, levei-o a pediatra... lá ela pediu exames de sangue e de urina, mas já com a suspeita de algum virus, até mesmo mensionou a bendita da Roséola...
Fiz os exames laboratoriais no dia seguinte, e a tarde confirmou-se a suspeita, realmente era um virus que estava causando todo essa estrago no pequeno. A pediatra então, olhou os exames e disse que não estava especificando qual o tipo de virus era, mas que eu tinha que observar, se a febre persistisse depois de 4 dias, era para eu levar o bebê ao Centro Médico... E foi o que eu fiz, no quarto dia de febre, onde apareceram as manchas pelo corpo, eu fiquei mais preocupada ainda, pois até então, eu não sabia que vírus era esse que ele tinha...
Mas quando cheguei ao hospital, a pediatra (ótima, por sinal) examinou o Davi e na hora disse que pelas caracteristicas clinicas ele estava com Exantema Súbito. Pediu um raio x, só por desencargo de consciência, pois ela disse que muitas vezes essas doenças causadas por virus, podem vir acompanhadas de pneumonia.
Mas graças  a Deus, meu Davi não tinha nada... A pediatra me orientou a continuar com o antitérmico e banhos mornos caso a febre voltasse, e que a erupção cutanea iria desaparecer em 3 dias.

Bom, resumo da ópera... Agora que meu bebezinho está melhor, mas ainda continua sem muito apetite...

Pra quem não conhece o Exantema Súbito ou Roseola (nome popular) segue algumas considerações:

Roseola, também chamada de exantema súbito ou sexta doença, apesar de ser parecida com a rubeola, é provocada por outro vírus, o herpes vírus humano tipo 6 (HHV-6) que, em geral, infecta crianças nos primeiros meses de vida e até os 3 anos. A transmissão ocorre de uma pessoa para outra, durante o período febril.
Adultos imunodeprimidos são vulneráveis à infecção pelo HHV-6.
Sintomas e diagnóstico
O período de incubação do vírus vai de 5 a 15 dias. O sintoma inicial é a febre alta (38ºC a 40ºC) durante três ou quatro dias. À medida que ela vai caindo, surge uma erupção cutânea (maculopápulas rosadas), que se concentra mais no tronco e menos na face e nos membros, e desaparece em dois ou três dias.
Os gânglios localizados na parte de trás da cabeça e no pescoço podem aumentar de tamanho. Nessa fase, a criança pode ficar irritada, um pouco abatida e sem apetite.
O diagnóstico é clínico. Raramente se torna necessário pedir exames laboratoriais para confirmá-lo ou estabelecer diagnóstico diferencial.
Tratamento
Não há vacina contra a roséola. O tratamento é sintomático, com medicamentos para baixar a febre, pois, se subir muito, há o risco de ocorrerem convulsões.
Recomendação importante
* Mantenha sob controle a temperatura da criança. Siga rigorosamente a orientação médica para administrar os medicamentos antitérmicos. Banhos mornos, quase frios, também são um recurso importante para baixar a febre que teima em subir.

 
Fontes: Drauzio Varella

*Sugestão: Pra quem quiser saber mais sobre essa doença, achei um blog bem legal que fala mais especificamente sobre Roseola:  Dicas do Pediatra

Free Baby Roll ani Cursors at www.totallyfreecursors.com